Notícias

Brasileiros precisarão de visto para visitar a Nova Zelândia

Novo visto eletrônico pode ser adquirido a partir do dia 1º de julho e terá validade de dois anos



Brasília, 03 de julho de 2019 – A partir de 1º de outubro de 2019, interessados em conhecer ou em estudar na Nova Zelândia precisarão de visto para entrar no país, o chamado Eletronic Travel Authority (ETA). Atualmente, brasileiros não precisam de autorização para entrar no país e permanecer até três meses.

O visto irá custar cerca de 9 dólares neozelandeses, cerca de R$ 23,40, se feito pelo celular e NZD $ 12,50, cerca de R$ 32,50, caso emitido pelo site do governo da Nova Zelândia. Além dessa taxa, o turista deverá pagar NZD $ 35, cerca de R$ 91,00, para a taxa de proteção ambiental, que foi anunciada em junho de 2018. Outra necessidade para ter acesso ao país é o preenchimento de formulário com dados pessoais e objetivo da viagem, e a apresentação de uma declaração de antecedentes criminais.

Segundo Paulo Silva, diretor da World Study, com a modificação do visto, é importante contratar uma agência que forneça auxílio e facilidades nesse procedimento. “Por ser uma mudança recente, os procedimentos ainda são um pouco confusos, por isso é importante contar com a orientação de uma agência especializada. A World Study tem, por exemplo, o Student Advisers, funcionário que auxilia desde o primeiro contato até a finalização do intercâmbio, a agência também possui suporte psicológico para os alunos”, destaca.

A Nova Zelândia além de ser o segundo país mais seguro do mundo, é um ótimo lugar para aperfeiçoar o inglês. “As cidades mais procuradas são Auckland e Queenstown. No país é possível fazer programas de intercâmbio como curso de idiomas, Study and Work, colônia de férias, graduação e pós-graduação”, ressalta Silva.

De acordo com o governo Neozelandês, a medida foi tomada para melhorar a segurança e agilidade de entrada no país, além de melhorar a experiência do viajante e apoiar as relações internacionais com mais de 60 países que possuem atualmente a isenção de aplicação de visto de visitante. O ETA também será necessário para quem estiver apenas de trânsito na Nova Zelândia.

Mais informações podem ser adquiridas em www.immigration.govt.nz/new-zealand-visas

Sobre a World Study – Em 1998, um grupo de entusiastas do intercâmbio cultural e ex-intercambistas, com mais de dez anos de experiência acumulada nesse segmento de mercado, resolveu unir forças para propiciar crescimento cultural, acadêmico e social às pessoas que compartilhavam este entusiasmo. Nasceu, então, a World Study Educação Intercultural que, por meio do intercâmbio, entendido como uma ferramenta educacional, oferece as mais diversificadas opções de experiência internacional (intercâmbio) e um atendimento diferenciado, baseado no aconselhamento individualizado e na adequação do programa ao perfil de cada aluno. Atualmente, a empresa possui unidades em todas as regiões do Brasil e bases no exterior.

 Praças em que a World Study está presente:

AMAZONAS

CEARÁ

DISTRITO FEDERAL

ESPÍRITO SANTO

GOIÁS

MATO GROSSO

MINAS GERAIS

PARANÁ

RIO DE JANEIRO

RIO GRANDE DO SUL

SANTA CATARINA

SÃO PAULO

SERGIPE

BASES NO EXTERIOR:

BRISNABE (Austrália)

SYDNEY (Austrália)

DUBLIN (Irlanda)

ASSESSORIA DE IMPRENSA – WORLD STUDY BRASÍLIA

Proativa Comunicação
Contato: Flávio Resende (61) 99216-9188 / Terra Thais Costa (61) 99273-9944
Telefone: (61) 3242-9058
E-mail: proativa@proativacomunicacao.com.br

(61) 3242-9058 SIG Quadra 1 Lotes 495, 505, 515, Ed. Barão do Rio Branco, Salas 209/210, CEP: 70610-410 Brasília – DF
proativa@proativacomunicacao.com.br
Copyright 2013 · Todos os direitos reservados · www.proativacomunicacao.com.br