Notícias

Período de chuvas demanda cuidados com limpeza

Para a época, é necessário redobrar a atenção com a manutenção e a higiene de calhas, caixas d’água e piscinas para evitar o surgimento do mosquito da dengue



Brasília, 13 de outubro de 2020 – Após registros de recorde de dias mais quentes do ano em várias regiões do Brasil nas últimas semanas, há, enfim, perspectivas concretas de viradas no tempo. A tendência é que, a partir da segunda quinzena deste mês, a temporada úmida da primavera brasileira tenha início de vez. Por consequência, a maior nebulosidade e umidade provocam queda nas temperaturas e melhora na qualidade do ar.

Com a temporada das chuvas em algumas localidades, é necessário fazer a manutenção e a limpeza de calhas, caixas d’água e piscinas para evitar a proliferação do mosquito da dengue e problemas na estrutura do imóvel.

No início do ano, as mortes ocasionadas pela dengue aumentaram em 50%. Na época, o estado do Paraná possuía mais óbitos registrados (53). São Paulo, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Acre, Minas Gerais e Amazonas também apresentaram uma alta nos registros. Em âmbito nacional, até o dia 21 de março, 441.224 casos prováveis estavam no radar do Ministério da Saúde.

Para impedir que o aedes aegypti deposite as suas larvas na água da piscina, é necessário alguns cuidados relacionados à limpeza. Renato Fortuna Campos, presidente da Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação (Febrac) recomenda a aplicação de cloro de duas a três vezes por semana. “Se a piscina estiver à sombra, malcuidada, abandonada ou sem tela de proteção, ela se transforma em um criadouro perfeito para o mosquito da dengue”, destaca.

Além disso, Fortuna afirma que a parede logo acima do nível da água também é utilizado para depositar os minúsculos ovos do mosquito. “Após o depósito, os ovos resistem por até dois anos à espera do contato da água para eclodirem”, comenta.

No período de chuvas, outro cuidado necessário é com as folhas, galhos, areia e outros detritos trazidos pelas ações dos ventos. Isso pode obstruir significativamente as calhas e, assim, comprometer a sua estrutura, gerando infiltrações no imóvel.

O presidente da Febrac comenta, ainda, que a limpeza de calhas e caixas d’água deve ser realizada por empresas especializadas. “Ao subir no telhado ou na torre da caixa d’água para efetuar a limpeza, o profissional deve utilizar os equipamentos de segurança e de proteção individual”, destaca.

Além da segurança, produtos corretos e equipamentos modernos auxiliam o trabalho dos profissionais da área de asseio e conservação para garantir um resultado eficiente.

Sobre a Febrac – A Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação foi criada em 1983 para representar os interesses do dos setores de serviços de asseio e conservação. Atualmente, representa 27 segmentos ligados à terceirização de mão de obra especializada. Com sede em Brasília, a Febrac agrega sindicatos nas 27 unidades federativas do país e ocupa cargos na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), nos Conselhos Nacionais do SESC e do SENAC, na Central Brasileira de Apoio ao Setor de Serviços (CEBRASSE) e na Câmara Brasileira de Serviços Terceirizáveis e na World Federation of Building Service Contractors (WFBSC). A Federação tem como objetivo cuidar, organizar, defender e zelar pela organização das atividades por ela representadas.

ASSESSORIA DE IMPRENSA – FEBRAC
Proativa Comunicação
Contatos: Gabriella Collodetti (61) 99308-5704 / Flávio Resende (61) 99216-9188
Tel.: (61) 3340-4448
E-mail: atendimento@proativacomunicacao.com.br / proativa@proativacomunicacao.com.br
Twitter/ FB/ IG: @ProativaC

 

(61) 3340-4448 Copyright 2013 · Todos os direitos reservados · www.proativacomunicacao.com.br